Intoxicação de animais: sintomas, causas e tratamento

A intoxicação de animais pode acontecer, seja cão ou gato. Assim, devemos estar atentos, tanto para evitar que a intoxicação aconteça, como para saber como aconteceu, a fim de facilitar o tratamento.

Intoxicação de animais: sintomas, causas e tratamento

O que é uma intoxicação?

A intoxicação é um processo que ocorre quando o corpo reage a uma substância nociva, seja ela um alimento, uma planta, um produto químico, etc. A intoxicação pode ocorrer tanto por ingestão, como por um simples contacto com determinado produto. No entanto, nos animais, a intoxicação pode ser mais grave, devido ao seu porte, o que pode causar muitos problemas e graves. É necessário estar atento.

Quais os sintomas?

Os sintomas da intoxicação acabam por depender do que foi ingerido, porém, na maioria dos casos, poderá contar com:

  • vómito;
  • diarreia;
  • dor abdominal;
  • apatia;
  • salivação excessiva;
  • tremores;
  • convulsão (em casos mais graves);
  • agitação.

Se verificar algum destes sintomas deve procurar um médico veterinário o mais rapidamente possível. Além disso, deve tentar perceber que substância causou a intoxicação ao animal e em que quantidade foi ingerida. Isto irá facilitar o prognóstico e a realização de um tratamento mais eficaz e rápido. Nunca deve dar uma medicação ou tentar tratar da intoxicação sozinho. A ação de um profissional é fulcral, já que a intoxicação em alguns casos pode levar à morte.

Intoxicação de animais: sintomas, causas e tratamento

Quais as causas?

As causas da intoxicação estão ligadas à ingestão ou contacto com certos alimentos, químicos ou plantas. Há vários produtos que podem ser nocivos para o seu patudo.

No caso dos alimentos, o chocolate, a uva fresca e uva-passa, o alho, a cebola, macadâmia (um tipo de noz), a carambola, o abacate, as bebidas alcoólicas, a cafeína e o xilitol (um adoçante natural) são alguns dos alimentos que podem ser nocivos. Não deve de os partilhar com o seu cão e gato, já que o nível de intoxicação é grande. Tente que o seu patudo se mantenha afastado destes alimentos.

Já no caso de plantas, há algumas que podem ser nocivas. É o caso da comigo-ninguém-pode, costela-de-adão, jiboia, espada-de-são-jorge, a estrela de Natal, folha-da-fortuna, azálea e azevinho. Se quiser ter este tipo de plantas em casa, deve colocá-las num local onde não é acessível ao seu cão ou gato.

Há medicamentos que podem ser extremamente nocivos, como o paracetamol e o diclofenaco de sódio. Os produtos à base de piretrina e permetrina, como talcos, shampoos, sabonetes têm de ser usados em quantidades adequadas para não criarem riscos de intoxicação. Os produtos de limpeza de ambientes também podem ser nocivos, como a água sanitária e o cloro. Não deve ainda dar qualquer medicação que não tenha sido falada e recomendada pelo médico veterinário.

Qual é o tratamento?

O tratamento irá depender do que foi ingerido pelo animal ou a substância com a qual esteve em contacto. Se o seu animal apresentar sintomas ou apanhá-lo a lamber uma substância tóxica deve consultar desde logo o veterinário. Não tente induzir o vómito ou dar algum tipo de medicação ao gato, já que pode piorar a situação.

Deve reunir a informação mencionada anteriormente, o tipo de substância ingerida ou que o animal teve contacto e em que quantidades para que o veterinário saiba melhor que tratamento pode aplicar.

Para emergências, o carvão ativado pode ser utilizado por se tratar de uma substância absorvente que ajuda a evitar a completa absorção das toxinas pelo organismo, mas não substitui a ida ao veterinário. A intoxicação é muito séria e não deve lidar com ela de ânimo leve.

Intoxicação de animais: sintomas, causas e tratamento

Prevenção

Nem sempre há controlo perante o que os animais podem ingerir, mas há sempre maneiras de poder prevenir essas situações. Deve informar-se sobre os produtos que possui em casa para saber quais são nocivos para o seu animal e deve mantê-los à distância do patudo. Além disso, deve utilizar só medicamentos e produtos prescritos pelo veterinário com o seu patudo e não usar pesticidas ou produtos de limpeza sem informação e orientação prévia. Pode até ser boa ideia consultar o veterinário sempre que use um novo produto e que tenha receio que possa ser nocivo para o seu animal.

 

Deixe uma resposta