Linguagem canina – conhece os sinais do seu cão?

Compreender a linguagem canina é muito importante tanto para os seus tutores como para as pessoas que não têm animais.

 

Linguagem canina – conhece os sinais do seu cão?

 

“Os cães são de Marte e os donos são de Vénus”

 

Para evitar conflitos é importante perceber quando os cães querem brincar ou estar sozinhos, quando estão com medo ou agressivos, dominantes ou submissos.

A maioria dos conflitos entre os tutores e os seus cães tem origem na comunicação, sobretudo a comunicação corporal.

Os cães entendem os nossos menores gestos mas interpretam-nos de acordo com o seu código e linguagem que é distinta da nossa.

 

O QUE É A LINGUAGEM CANINA?


Como todos os outros animais, os cães possuem um sistema de comunicação específico.

A linguagem canina é composta por um conjunto de sinais e mimicas de comportamento conhecido por todos os outros animais da mesma espécie.

Este conjunto de sinais corresponde à linguagem que lhes permite comunicar entre eles.

 

COMO O MEU CÃO APRENDE A LINGUAGEM CANINA? 


Linguagem canina conhece os sinais do seu cão?

 

A aprendizagem da linguagem canina é um processo contínuo e não estático, que se desenvolve ao longo de toda a vida do cão.

Para que possa aprender e forma correta estes sinais, o animal precisa das experiências da idade precoce.

Inicialmente esta aprendizagem é transmitida através dos progenitores.

Posteriormente é captada através do contacto com cães de diferentes raças e idades, sendo muito importante proporcionar-lhe uma boa socialização.

A socialização é importante não só para que o seu cão consiga perceber os sinais que lhe estão a ser transmitidos, assim como para os saber transmitir de forma adequada aos outros animais.

 

CONHEÇA A LINGUAGEM CANINA E OS SEUS SINAIS


Linguagem canina - conhece os sinais do seu cão?

 

Postura dominante

  • Cauda erguida;
  • Orelhas dirigidas para a frente;
  • Membros totalmente estendidos;
  • Olha fixamente;
  • Em algumas situações pode colocar as patas da frente sobre o dorso do cão submisso ou morde-lhe o focinho/pescoço.

– Mouting (Colocar-se em cima de outro cão):

  • Hierarquia – serve para aferir estatutos (submissão/dominância) e manter a ordem sem conflito dentro de um grupo;
  • Posicionar o pescoço por cima do oponente;
  • Submisso ao deixar-se montar está a dar um sinal de paz;
  • As fêmeas também podem montar os machos para os forçar à submissão.

 

Postura submissa

  • Cauda recolhida;
  • Orelhas direcionadas para trás;
  • Membros fletidos;
  • Lambe os lábios do cão dominante;
  • Deita-se de lado ou com a barriga para cima;
  • Postura completamente oposta ao dominante.

 

Postura de medo

  • Baixa-se para parecer mais pequeno e passar despercebido;
  • Corpo rígido e tenso;
  • Cauda entre as pernas;
  • Orelhas puxadas para trás;
  • Olhos esbugalhados.

Nunca tente aproximar-se de um cão com esta postura. O medo é a principal causa de agressividade dos cães. Afaste-se e espere que o cão relaxe.

 

Postura de agressividade

  • Corpo tenso;
  • Cauda virada para cima ou para trás, rígida;
  • Orelhas orientadas para a frente;
  • Lábios repuxados para trás, expondo os caninos;
  • Pelos erguidos desde a base do pescoço à cauda;
  • Caso visualize estes sinais, não tente uma abordagem de forma nenhuma.

 

Postura de convite ao jogo

  • Patas da frente e peito encostados ao chão;
  • Patas de trás e cauda erguidas;
  • Cauda a abanar;
  • Boca aberta e língua de fora;
  • Orelhas dirigidas para a frente;
  • Pode rosnar, mas os outros membros do grupo percebem que não é uma ameaça.

 

Postura de ansiedade

É muito importante saber identificar estes sinais, embora sejam subtis. Quando não são detetados a tempo, podem acabar com uma dentada, uma vez que após o cão ter tentado transmitir todos estes sinais para evitar o conflito, só lhe resta uma última hipótese, atacar.

  • Lamber os lábios (sem comida ou odor de comida);
  • Arfar (sem calor ou sede);
  • Orelhas para o lado e teste enrugada;
  • Bocejar (sem motivo para estar cansado ou sonolento);
  • Mover-se muito devagar, de forma cautelosa;
  • Olhar em todas as direções;
  • Recusa comida (apesar de ter fome);
  • Afasta-se quando nos tentamos aproximar;
  • Anda de um lado para o outro.

 

Sinais de calma

  • Afastar o olhar;
  • Abanar-se;
  • Levantar as patitas.

É importante que saiba que a capacidade de algumas raças de comunicarem com sucesso com outros cães está limitada pelas suas características físicas, como por exemplo devido a amputação de cauda, focinho coberto de pelos, orelhas grandes e caídas e lábios pendentes.

 

Sinais auditivos

  • Para além dos sinais corporais, os cães recorrem a inúmeros sons para comunicar.
  • O ladrar é muito frequente uma vez que aprenderam que geralmente conseguem ter atenção quando ladram.
  • Quando querem atenção usam um tom mais alto e quando são agressivos usam um tom mais baixo e ameaçador.
  • Em brincadeiras e cumprimento também recorrem à comunicação verbal.
  • Quando uivam têm como objetivo localizar alguém ou chamar por companhia.
  • Para afastar alguém podem recorrer também ao rosnar.
  • Os cães podem ganir para chamar a atenção, quando têm dor ou quando estão ansiosos.

 

Caso verifique que o seu cão tem alterações de comportamento consulte um especialista que o possa ajudar.

Deixe uma resposta